sexta-feira, 10 de julho de 2009

pretibranco/schwarzweiss (P & D)

foto © ole otte







terça-feira, 7 de julho '09. estação do metrô Alexanderplatz, final de tarde.
passo por um grupo de estudantes do 2° grau. ando até encontrar um lugar mais ou menos tranqüilo para esperar meu metrô.
um dos estudantes se deslarga do grupo. uma enorme máquina fotográfica na mão. eu espio a cena com o canto dos olhos.
vem em minha direção.
posso tirar uma foto sua com o seu cachorro. digo que sim.
o grupo de estudantes de visita em berlin. o garoto fotografando para um projeto chamado: caras & contos.
deu-me seu cartão com seu e-mail.era para eu lhe escrever e ele me mandava a foto.
dienstag, 07.07.09, u-bahnhof am alex.
ich laufe neben einer gruppe schüler. laufe weiter bis ich einen ruhigen platz finde.
da schaut einer aus der gruppe mit seiner riesigen kamera in meiner richtung.
ich beobachte alles mit den kanten meiner augen.
dann kommt er zu mir und fragt. kann ich dich mit deinem hund fotografieren? ja.
die gruppe, schüler aus Wittenberg, zu besuch in Berlin. das fotoprojekt heißt "faces & stories". er hat mir seine visitenkarten in die hand gedruckt. ich sollte mich melden, er schickt mir das foto.

quarta-feira, 8 de julho de 2009

da conchinchina ao pelourinho e/ou Thriller, the real one!


clique aqui:



não queria nem tocar no assunto, por respeito.
quem viu ontem as pompas fúnebres de Michael Jackson pela televisão?
eu não.
eu quando criança, adorava os Jackson 5. tinha até um desnho animado, que passava na televisão e que eu assistia com muito prazer.
mais tarde, quando ele fez sua carreira solo, gostava demais do som do álbum mais vendido da história, THRILLER. nunca cheguei a possuir um.
depois de thriller, as aberrações...a mutação começava alí. óbviamente ninguém viveu na pele dele, as humilhações, a violência e os abusos que sofreu. são imperdoáveis. assim como foram o terreno farto para sua mutação física e muito provávelmente mental.

mas sem mais conversa fiada, nos noiciários ví este clip, a "filha" de Michael Jackson falando do grande pai que teve.
além do absurdo e do surrealismo que a cena traz consigo mesmo, o que muito me chocou foi ver uma criança acuada em meio um bando de pessoas que pareciam lhe obrigar a estar alí e a falar aquilo que ela estava falando. os rostos, principalmente o de sua "tia" Janet Jackson, inspiravam mais ódio do que pesar. as carpideiras Jackson acuando a criança, cheia de mãos quase tentáculos sufocavam uma pré-adolescente completamente perdida no mundo.
aquilo me deu um embrulho no estômago, me deu medo, me deu pânico. pobres destas crianças, "filhas" de uma outra criança.

óbviamente Michael Jackson foi um grande artista. sem dúvida nenhuma.
óbviamnete Michael Jackson foi mais do que o artista excêntrico.
óbviamente diante de sua perda o mundo se esquece de seu sofrimento e de suas "fraquezas".

sua morte é uma perda. mas nada do que o aconteceu em vida irá se apagar agora por respeito à sua memória.
muito pelo contrário, depois das pompas esperem pela carnificina Jacksoniana.

acho tudo isso inquietantante, a forma como nós convivemos com nossos vivos e de como resolvemos idolatrar os mortos. quando já não há mais nada a fazer. uma cerimônia de adeus a um ente querido que morreu, é muito mais um tributo para aqueles que estão vivos.
morto não faz catarse.
no caso de Michael Jackson o tributo estrapola todos os superlativos, inclusive o superlativo de nosso cinismo e de nossa hipocrisia.
e o mundo se aninha e da Conchinchina ao Pelourinho a catarse toma conta de tudo.


este video tem pra mim o valor de ficção, de um péssimo filme de terror.

morro de pena destas crianças, agora sem o "pai" e para sempre e todo sempre com um passado surreal, sem uma "família" de verdade e muito provávelmente em meio à famintos abutres.

pobres milionários!

sábado, 4 de julho de 2009

pra quem quiser...

...ver o resultado da exposição que aconteceu no final de semana passado aqui em Berlin, só clicar aqui em baixo.
clicando em baixo da foto p&b, lhe direciona ao link da exposição
da foto colorida, fotos da vernissage no dia 26 de junho.



sexta-feira, 3 de julho de 2009

entre dois mundos e no mesmo lugar


até duas semanas atrás eu era, como sempre gostei de ser: INVISÍVEL, TRANSPARENTE.
desde que ando com esta miniatura de vaca holandesa presa numa coleira, passei a existir.
de repente todos aqueles vizinhos de rua que nunca nem lhe viram, dão bom-dia - óbviamente ao cachorro e depois a você!
muitas são as estórias e histórias. da mesma forma que a variedade entre extremos de simpatia e completa loucura e neurose multiplicam-se ad infinituum!
hoje finalmente fez um lindo dia de verão, acordei cêdo, levei Fio para fazer sua toillete matinal, voltamos tomamos café, e saí com ele mais uma vez, para fazer treinamento.
estou lhe condicionando desde esta tenra e inocente idade, a à cada esquina de rua automáticamente parar e sentar-se.
fui par um lugar sem muito movimento de gente, para que ele não se distraísse muito.
numa esquina, práticamente no cu do mundo, eu falo para Fio: STOPP, SITZ! (pare, sente!), é claro que ainda não funciona assim 100%. estamos bem no começo... ele nada! eu de novo: STOPP! STOPP!
daí passa um senhor, a idade difícil de se arriscar um palpite, principalmente numa cidade em que muitas pessoas envelhecem muito precocimente pelo abuso de cigarro, álcool e frustração. ele passa por mim, e diz assim como que para com os seus botões "rede deutsch mit ihm!" (fale alemão com ele!).
eu parei de dar respostas a este tipo de situação já há muito tempo, prefiro muito mais me fazer de surdo e de desentendido à caçar brigas como eu geralmente o fazia.
o que mais me chamou atenção: como se diz pare em alemão?
STOPP
STOPP
STOPP
putaquepariu STOPP VERDAMMNOCHMALSCHEISSDRECKSTOPPCARALHO!
ergo: um escurinho (eu): estrangeiro: não sabe falar alemão. gera>> stopp:stop, alemão vira inglês! sacou?!
a cada dia que passa mais convencido: as pessoas estão cada vez mais condicionadas a ver o mundo pré-conceituado! pré-concebido! pré-visto!
observei muito isso na Bahia, conversamos muito Maria Sampaio e eu, sobre o assunto, ela mesmo blogou sobre isso no tempo que eu estava lá na Bahia.
que fenômeno é este que práticamente coloca um par de lentes à frente dos olhos das pessoas? poucos, pouquíssimos têm os olhos livres de pré-conceitos!

définitivamente não é uma questão cultural. este fenômeno é mundial, talvez as difernciações de condicionamento, estas sim sejam culturais/regionais. mas mesmo essas diferenças têm diminuido muito devido ao fenômeno da globalização. o mundo se transforma cada vez mais num sagüão de aeroporto:
impessoal, desconfortável, frio e com esta inigualável camaleônica capacidade de ser

qualquer lugar.





quarta-feira, 1 de julho de 2009

fio manda dizer...


...que estou me recuperando de uma gripe gastro-intestinal...
em breve de volta.